Dicas para sua empresa driblar as altas tarifas de passagens aéreas

Planejamento com antecedência é um dos fatores mais importantes para fechar uma viagem e pode resultar em uma economia e tanto na compra das passagens aéreas.  Enquanto uma passagem pode custar R$ 300 para um viajante, pode custar R$1.000 para uma outra pessoa que está no mesmo voo. Entender como essas diferenças são possíveis pode ajudar não só pessoas físicas durante viagens de férias, como também auxiliar as empresas a economizarem – e muito – durante viagens corporativas.

Como os preços são definidos?

O setor aéreo é campeão no uso do chamado advanced analytics, um tipo de software muitíssimo sofisticado que analisa, sem parar, a procura por voos no momento presente, ao mesmo tempo em que leva em conta o histórico de reservas naquele trecho. Esses sistemas, que recomendam a melhor tarifa com base nessas análises, são programados para indicar as melhores decisões de tarifa do ponto de vista da receita da companhia aérea.

Em outras palavras, a ferramenta funciona mais ou menos com uma bolsa de valores, em que a empresa tem um portfólio de assentos no lugar de uma carteira de ações. Os preços sobem ou caem minuto a minuto, dependendo da demanda.

Se não há muita procura, a companhia reduz suas tarifas para não correr o risco de voar com uma baixa ocupação. Isso acontece porque aviação é um negócio de custos elevados: se um avião não está com uma ocupação de cerca de 70% dos assentos, em média, os gastos com combustível, tripulação e manutenção superam a receita, dando prejuízo à empresa.

Uma dica importante para este cenário é tentar utilizar o sistema de reserva da empresa para fazer a busca, pois como é feito via Webservice, o site da cia aérea não consegue identificar o usuário, porque, em alguns casos, se você tiver utilizando o site da cia aérea, e fazer várias buscas, pode ser que o preço mude, para maior, isso por conta do cache que o site da cia aérea faz a captura.

Compras com antecedência

Esses sistemas de precificação das empresas são programados para oferecer tarifas mais baixas se a reserva for feita com antecedência, já que, quanto mais perto do voo, menos assentos estão disponíveis.

Entre um e dois meses com antecedência é o ideal, uma vez que as companhias avaliam que se a passagem está sendo comprada muito cedo é porque realmente a pessoa irá viajar, independente de uma promoção ou preço baixo.

Evitar a compra de bagagem

Lembre sempre o colaborador ao fazer as malas para uma viagem corporativa: ele está a serviço, e não a lazer. Por isso, incentive-o a levar apenas o necessário, evitando pagar taxa adicional de bagagem.

Caso seja necessário a compra da bagagem, veja se o passageiro não é participante do programa de fidelidade que ele está viajando e se o mesmo já não possui a bagagem gratuita.

Pronto. Economizar em viagens corporativas não é mais segredo. Além de todas as dicas apresentadas, é importante que as empresas entendam que esse tipo de viagem não é despesa, e sim investimento. O segredo está em saber como investir corretamente sem comprometer o conforto do viajante.

© Todo os direitos reservados para Kennedy Turismo